Sobre os dias não tão bons

DSC00983.jpg

Os meus últimos dias têm sido difíceis, e os seus?

Eu sei que eu tenho MUITAS coisas boas acontecendo na minha vida agora, muitas mesmo! Não ignoro esse fato. E dias difíceis também não significa que eu chorei pela casa o tempo todo ou que eu não dei um sorriso, significa que alguma coisa tava doendo aqui dentro. Tenho me esforçado pra não colocar a culpa de tudo que acontece comigo nos pobres hormônios da gravidez – as vezes até acho que eles são parcialmente culpados, mas de qualquer forma preciso conviver com eles né, vamos tentar ser amigos –

Esses dias difíceis são um mix de sentimentos que existem em mim, que normalmente são anulados por tudo de bom que acontece, mas em alguns momentos e por motivos aleatórios eles acham que são mais importantes que tudo e gritam bem alto! Aí aquela velha guerra entre eu e eu mesma começa, acho que nesses dias o que realmente acontece, é que eu me sinto vencida.

Eu já sei todas as verdades ao meu respeito, EU SEI! Eu sei o que Deus diz que eu sou, eu sei quem eu sou Nele, eu sei quem Ele é.

É uma mistura de frustração por não atingir as minhas metas de coisas pra fazer no dia, tristeza por de alguma forma deixar as pequenas coisas, que eu sei que não tem toda essa importância, me atingir. Cansaço físico, mental e emocional por ter uma cabeça que pensa demais, um corpo que toma muito chimarrão e nem sempre dorme bem!

Têm noites que eu deito no travesseiro e algumas lágrimas silenciosas rolam, só porque eu queria ter feito mais, queria ter sido mais, diferente, sei lá. Não durmo feliz comigo mesma.

Agora têm noites mais intensas, que eu choro mesmo, soluço, não consigo segurar. Começa devagar e eu sempre sei o motivo no começo, alguma coisa minúscula, mas daqui a pouco, eu só quero chorar, quero chorar muito, e já nem lembro mais do porque começou.

Alguma coisa dentro de mim começa a gritar pra mim os meus próprios defeitos.

No início eu fico brava e culpo as pobres pessoas que convivem comigo por qualquer coisa que tenha acontecido. Quando eu percebo que nada daquilo faz sentido, uma culpa imensa me atinge e eu já não consigo levantar. Me sinto mal por ter ficado triste, me sinto mal por ter machucado outras pessoas. Me sinto mal. E quando finalmente eu me acalmo, me sinto pior, por ter permitido que tudo isso acontecesse, mais culpa ainda por não ter tentado evitar, por não ter percebido onde tudo isso estava me levando. Me sinto mal por não ter visto o lado bom, me sinto péssima por ter ouvido cada acusação e acreditado.

Pareço uma pessoa com sérios problemas falando sobre tudo isso né?! Não acho que seja errado viver dias intensos assim, acho errado guardar isso pra mim e tentar viver esses dias sozinha. Escrever acaba me ajudando a colocar tudo em perspectiva.

Não achei que ia ser tão desafiador escrever para esse blog, mas tem sido.

Acho errado quando a gente tenta passar aquela imagem de que nunca tem dias cansativos, ou frustrantes. Somos humanos, normais, pessoas com dificuldades, que erram e acertam.

Tenho aprendido, a muitooo custo, a cobrar menos de mim mesma. Não que eu não queira ser excelente em tudo que eu faço, eu quero. Mas a cobrar menos perfeição. Menos listas com checks no final do dia. A curtir meu dia devagar, a deitar na cama com o meu marido a noite e conseguir ser grata, independente de tudo que aconteceu até aquele momento.

Eu tento ser a pessoa mais compreensiva do mundo com todos que eu conheço, mas não sou assim comigo mesma.

Preciso aprender a ser mais legal comigo, a me ver com mais carinho. Poxa, Jesus me olha assim. Ele me ama! Mesmo com todos os meus defeitos e falhas e dias improdutivos.

Eu falho sim, e preciso melhorar muito em muitas áreas da minha vida.

Mas pra que eu tenha ânimo em dias como esses, eu preciso parar um pouquinho, e olhar pra TUDO aquilo que eu JÁ fiz, pra tudo aquilo que Jesus já mudou em mim.

É bom olhar pra trás com cuidado de vez em quando, pra lembrar que não estou mais no ponto de partida. Talvez esteja mais longe do que eu gostaria da linha de chegada, mas não quer dizer que os meus passos até aqui não têm valor nenhum.

Hoje está sendo um dia de exercitar tudo aquilo que eu já sei. A pessoa que eu sei que eu sou, as coisas boas que eu sei que eu consigo fazer! Tudo pela ótica de Cristo, porque quando olho com os meus próprios olhos, eu acabo machucando até a mim mesma.

É preciso ter coragem pra admitir que tem dias que são complicados, mas é um alívio saber que existe um Deus do meu lado nesses dias também, que está só esperando eu correr pros braços Dele e entender que Ele me ama assim mesmo, que Ele quer me mostrar todas as coisas que já conquistamos juntos, um Pai que acredita em mim, no meu potencial, mesmo quando eu mesma não acredito. Um Amor tão verdadeiro que nos envolve quando a gente chora e nos abraça e nos consola. Ele está pertinho, conhece o pior e mais profundo de mim e com toda graça que existe no universo, Ele ainda me ama e escolhe não apontar o dedo pra mim! Ele me levanta, seca minhas lágrimas, e ainda me diz: vamos filha, eu tô contigo. Dessa vez você vai conseguir!

Não sei se vou conseguir ou não, se eu aprender a depender completamente Dele eu sei que eu consigo, se eu continuar tentando tudo por mim mesma, é capaz de eu chorar de novo. Mas sem dúvidas, Ele vai estar aqui, do meu lado, pra celebrar minhas vitórias ou pra me segurar quando eu cair. Porque Ele me ama.

Ele te ama!

Algumas coisas me ajudam muito em dias assim.

Meditar em textos que eu sei da Bíblia e escutar alguma música que anime o meu coração.

Hoje eu meditei nesse texto:

“Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.
Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei.
E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.”
Jeremias 29:11-13

E a música que eu escutei o dia todo: Vem me Socorrer – Marcos Almeida

 

8 comentários em “Sobre os dias não tão bons

  1. Às vezes tenho destes dias ” não tão bons” também. Bom saber que não sou a única “louca” …hehehe..e saber que o Pai nos ama e nos olha com olhos cheios de amor. Amei o texto Elisa, que o Espírito Santo continue te inspirando!!! E tu tá uma grávida gatissima. Beijoos

    Curtido por 1 pessoa

  2. Me senti mais “normal” depois de ler isso!
    Acredito que a parte que mais falou comigo foi essa: “Preciso aprender a ser mais legal comigo, a me ver com mais carinho. Poxa, Jesus me olha assim. Ele me ama! Mesmo com todos os meus defeitos e falhas e dias improdutivos.”
    Excelente reflexão, preciso me lembrar mais disso: Ele me ama, mesmo com todos os meus defeitos. Então, por que não me amar??
    Obrigada por cada palavra, Elisa!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Varias vezes passo por isso também! As vezes de certa forma é bom saber que estamos todas neste barco e que Jesus também está! O Senhor tem me ensinado a lutar essa guerra na nossa mente (que acredito que é onde tudo começa) com a palavra em primeiro lugar… que o Senhor continue falando contigo e te ensinando dia a dia a depender dEle!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s